Review: Titanfall 2

Nunca me esqueço do dia em que ouvi falar de Titanfall pela primeira vez. Era um dia cinza, estava chovendo e… Okay, é mentira, mas a minha reação ao ver o trailer do primeiro jogo foi inesquecível, pois eu estava vendo as minhas duas paixões; FPS e robôs gigantes, tomarem forma através de uma jogabilidade incrível. Era quase um sonho sendo realizado! Até que joguei e vi que ainda faltava muito para que se tornasse um excelente jogo; o conteúdo era limitado, exclusividade de sistema, DLCs inúteis (praticamente uma afronta ao consumidor), servidores instáveis, enfim, uma experiência divertida porém caótica. Até que eu assisti o primeiro vídeo de Titanfall 2 e vi que erros existem para serem corrigidos.

Titanfall 2 começa corrigindo uma das principais reclamações do título anterior, a falta de uma campanha single player; focado no universo dos personagens. Aqui vemos a Interstellar Manufacturing Corporation (IMC) numa destrutiva e gananciosa gaçada por mais recursos, atacando planetas civis e tudo que você pode imaginar. Isso faz com que um grupo rebelde, a Milícia, se forme em uma tentativa de revidar com a ajuda da arma mais versátil que a humanidade já criou, os Titans. O jogo gira em torno de Jack Cooper, um simples soldado de infantaria que, ao perder seu mentor no campo de batalha, assume (de forma ilegal) o controle de seu Titan para continuar a luta. A história segue essa dupla através de território hostil em busca de uma arma que pode virar a guerra.

Além de divertida e cheia de ação, a campanha serve de aquecimento para o que está por vir no multiplayer. Em ambos os modos há uma divisão entre o gameplay de piloto e Titan. Enquanto está a pé, o piloto utiliza uma série de armas rápidas além de possuir uma agilidade maior e habilidades de plataforma, que incluem correr pelas paredes, salto duplo e rasteira, permitindo um combate rápido e frenético entre os soldados. Após entrar em um Titan, a velocidade do combate reduz um pouco, mas com um poder de fogo muito maior, exigindo uma aproximação mais estratégica de acordo com seu arsenal.

Mas antes do jogador pular para a estrela da festa, o multiplayer, o game disponibiliza uma avalanche de opções de personalizações para que o jogador tenha a melhor experiência de combate possível. Dessa vez há seis Titans para escolher, cada um com habilidades e estratégias diferentes como o Ronin; que foca no combate corpo a corpo com sua espada, ou Northstar; que consegue voar para flanquear seus adversários. Além disso, todos os Titans acompanham de habilidades especiais, como lasers, barreiras, fumaça elétrica e até ejeção seguido de explosão nuclear!

tf222

Enquanto os Titans permanecem como uma ameaça tão grande quanto eram no primeiro jogo, dessa vez os pilotos tem mais formas de se virarem contra, graças às novas armas e gadgets a disposição dos jogadores. Com habilidades especiais como Grappling Hooks e Stimpack, o jogador consegue uma vantagem especial no combate, seja contra soldados ou robôs gigantes destruidores de planetas.

Com um grande e espetacular arsenal de armas, gadgets, habilidades, bots controlados pela IA e Titans, você já deve estar pensando que o multiplayer deve ser uma confusão enorme né? Pois você está certo e é exatamente por esse motivo que Titanfall 2 é inesquecível, viciante e extremamente divertido. Como era de se esperar de um FPS moderno, há diversos modos de jogo, um para cada gosto. Os mais famosos, Capture the Flag ou Team Deathmatch, são os mais jogados mas não quer dizer que são os mais divertidos. Pessoalmente eu adorei o novo modo Bounty Hunt no qual os jogadores são recompensados com dinheiro a cada alvo que ele elimina. Quanto mais forte, mais dinheiro. Após alguns momentos, bancos móveis aparecem pelo mapa, obrigando os jogadores de cada time depositarem a quantia acumulada e alcançar a meta estipulada. Saber equilibrar ataque e defesa é essencial aqui.

Independente do modo escolhido, Titanfall 2 apresenta aos seus jogadores uma experiência única, rica em detalhes e frenética, com uma jogabilidade incrível, movimentos rápidos e responsivos. Ter tanta habilidade e personalização disponível passa a ideia de que é preciso muito tempo para se acostumar, mas não, em poucos minutos de jogo é possível realizar grandes feitos, basta não ficar parado ou ser camper, agilidade e velocidade é a chave para uma boa partida.

O sistema de progressão do multiplayer também foi ajustado, para que sempre haja uma recompensa para suas ações, não importa quanto tempo você invista no jogo. Recompensas vão desde detalhes estratégicos como novas armas, aprimoramentos, habilidades, gadgets, modificadores de Titans até detalhes cosméticos, como camuflagens, skins para armas, pilotos, Titans, emblemas e até banners para decorar seu perfil de carreira.

Basicamente a Respawn Entertainment pega todos os pontos ruins de seu título anterior, junta num potinho, e corrige um por um, criando uma experiência incrível e de acordo com o gosto dos fãs. Embora não haja muita inovação, com certeza há uma jogabilidade de alta qualidade e viciante. Titanfall 2 com certeza é um dos melhores FPS lançados em 2016 e, caso mantenha-se atualizado e com suporte, tem tudo para se manter no topo durante 2017.

More from Guilherme Kyoji

BlizzCon – Show de Encerramento com METALLICA

Se a ideia de pagar 40 obamas, cerca de R$ 100, apenas...
Read More