Review: Moana

moana

Moana, a mais nova animação da Disney que estréia no dia 5 de janeiro, é a prova de que a Disney não brinca em serviço quando se trata de animações. Mesmo quando decide contar novas histórias, de uma população cuja cultura é pouco conhecida e abordada pelo cinema, a produtora não decepciona. E digo mais, dessa vez a princesa diferente das demais; mais forte, mais ambiciosa e mais teimosa também, mas uma protagonista que todos vão respeitar, admirar e amar!

Moana é a jovem filha de um rei, que cresceu ouvindo histórias dos grandes feitos de seus antepassados e por isso, vivia sempre com muita vontade de ganhar o mundo através do oceano. Seu pai, porém, não concordava muito com a ideia e sempre a proibia de deixar os limítrofes da ilha. Após descobrir que seu povo sempre foi de conquistadores itinerantes, e por estar preocupada com a situação de sua ilha, Moana decide encarar o mar.

Consciente das antigas lendas, e de seu papel como a escolhida do mar para completar antigas profecias, Moana navega à procura do semideus Maui, que segundo a história repetida por seus ancestrais arrancou o coração da deusa Te Fiji (uma personificação das ilhas Fiji, representando a Natureza como um todo) e devido a esse ato todas as ilhas padeceriam e morreriam aos poucos. A missão de Moana é encontrar o semideus tatuado convencê-lo a ir de encontro a Te Fiji e devolver seu coração, salvando assim sua ilha e todas as demais. Durante essa jornada, a garota tem de aprender a navegar e a enfrentar perigos diversos, como piratas e monstros marinhos. Porém por ser a escolhida, Moana contará com a ajuda do mar e do espírito de sua avó, na forma de uma arraia de luz.

Os efeitos visuais são impressionantes, desde as movimentações no oceano, onde se passa a maior parte da trama, até os detalhes do cabelo molhado. Seja o vento batendo nos cabelos da jovem princesa ou as ondas indo e voltando na praia, o resultado é o mesmo, uma beleza indescritível que em diversos momentos, fará o espectador esquecer que é uma animação e tudo isso foi feito no computador.

A trilha sonora ficou impecável, com grandes trilhas sonoras para cada momento do filme, instigando os usuários a liberarem todas as emoções durante o filme. E como já é de praxe, você provavelmente sairá cantarolando o tema principal do filme como uma boa música chiclete. Quem não continua a cantar “Let it go” mesmo sabendo que o filme tem mais de 3 anos né?

Moana mescla momentos hilários, e outras cenas mais dramáticas, com muito sucesso, criando uma película tranquila e divertida de assistir, tanto para os jovens quanto os adultos. Na verdade, a combinação da jovem aventureira com o semideus exibido e cheio de si, torna a trama muito divertida e emocionante. Outra coisa muito interessante da história é que Mauí é personagem extraído da mitologia dos povos polinésios, e foi caracterizado após intenso processo de estudo da mitologia com os povos das ilhas.

No geral Moana é um filme muito bonito! Encanta pela história, pelos gráficos, pela cultura dos povos abordados e claro, pela música, sendo uma excelente opção de diversão neste começo de ano. 

Texto por: Gus Machado

Written By
More from Redação

Review: Toby, The Secret Mine

Como em qualquer área criativa, o mercado de games passa por novas...
Read More