Review: Dragon Ball Z: Xenoverse 2

De todos os animes que existem, podemos argumentar que Dragon Ball é o mais famoso e amado por diferentes gerações, desde o primeiro até as diversas continuações como Z, GT e o mais recente, Super. Com tantos lutadores distintos, habilidades fantásticas e uma grande legião de fãs, não é a toa que há tantos jogos da franquia sendo lançados a cada ano. Mas será que isso é bom? Lançar um novo jogo apenas para se manter na mente dos fãs e nas prateleiras das lojas? Pra alguns jogos, sim, para outros nem tanto. E infelizmente, é o caso de Dragon Ball: Xenoverse 2

Em Xenoverse 2, o herói do primeiro jogo continua em suas aventuras heroicas através do tempo e espaço, para corrigir os problemas causados por Towa e Mira. Suas ações, porém, foram tão extremas que é necessário ainda mais patrulheiros do tempo para controlar a situação. E esse é o primeiro, dos vários pontos fracos do jogo. Ao invés de criar um novo enredo criativo, que justifique os jogos, os desenvolvedores simplesmente por optaram em manter o mesmo problema do título anterior. Para não falar que é 100% igual, agora quando vemos uma cena do vilão do capítulo, ele está com um brilho roxo e os personagens exclamam o quão poderoso ele está agora. Wow, such difference.

vilao

Grande parte de Xenoverse 2 é idêntico ao primeiro, em muitos pontos. O HUB no qual o jogador procura por partidas multiplayers, treina habilidades, procura quests e personaliza o personagem, está maior (passando a se chamar Conton City), mas essencialmente a experiência é a mesma. O combate também permanece idêntico ao anterior, com algumas mudanças em mecânicas básicas, habilidades ajustadas (leia-se nerf) e um melhor balanceamento. Muitos combos do primeiro já não funcionam direito no segundo justamente por ser um pouco overpowered. Assim como os Super Saiyajins, que não possuem mais Ki infinito ou ficam spammando habilidades sem parar.

A adição ao combate chega com o nome de Awakening; transformações para que seu personagem possa ter acesso a novos bônus em suas habilidades. Embora essa característica já estivesse presente no primeiro jogo, era bem limitada. Agora os Super Saiyajins e Namekos possuem formas ainda mais incríveis e poderosas, os Majins ganharam uma coloração diferente e os terráqueos, bem, não mudam muito infelizmente.

Uma novidade interessante é que Xenoverse 2 se esforça para oferecer mais coisas a fazer durante o jogo. Cada uma das raças tem a sua própria base, no qual dão quests pega-se quests especiais de cada personagem icônico. Majin Boo, por exemplo, quer que você o alimente para que ele possa formar sua família (?). Já o grande Saiyaman quer que você se aliste para ser um defensor da Terra. Independente da raça de seu personagem, você pode visitar essas bases e participar das missões, mas há um bônus se for da mesma raça que o personagem ícone. Há também alguns minigames e chefes especiais que exigem trabalho em equipe com outros jogadores. Tudo isso aumenta a vida útil do jogo, adicionando muitas cenas divertidas com o humor clássico da série, tornando toda a experiência ainda mais prazerosa.

Um grande problema, porém, aparece sob o nome de “Tela de Loading”. Não apenas há uma quantidade absurda de Loadings, como também não há um esforço por parte do jogo em reduzir este elemento. Se você falha em algumas quests, você é forçado a assistir o loading te levar de volta a cidade de Conton. Em seguida conversar com o NPC da quest mais uma vez e assistir a tela de loading novamente. Uma simples opção de tentar o combate novamente resolveria o problema, como que ninguém pensou nisso?!

Em geral, Xenoverse 2 mais parece um grande pacote de atualização que um jogo novo. Enquanto há muitas novidades que aprimoram a experiência, uma grande fatia do jogo é igual ao anterior, fazendo você se questionar se vale o investimento. Caso você nunca tenha jogado Xenoverse; vai fundo que o 2 será perfeito pra você. Mas se assim como eu, você já tem o primeiro, não vale a pena. Aguarde uma promoção ou coisa do tipo, dica de amigo.

 PS: Utilize a dublagem japonesa, já que a americana é horrível. Sério, a voz do Trunks em inglês me dá tique nervoso, ugh!
More from Guilherme Kyoji

Trailer de Ashes of Ariandel

Eu estava planejando começar este post direcionando, logo de cara, aos jogadores...
Read More