Review: A Lenda de Tarzan

O famoso personagem de Edgar Rice Burroughs, o menino órfão criado na selva por gorilas, reaparece nesta versão de David Yates (diretor de Harry Potter) mais velho e já adaptado à aristocracia britânica. Tão bem adaptado que fica difícil de acreditar que o personagem, interpretado pelo ator Alexander Skarsgård, era anos antes, um selvagem que só vocalizava guturalmente, enquanto pulava de cipó em cipó atrás de primatas e outros animais.

A aventura começa quando Tarzan decide voltar à África, junto de sua esposa Jane (Margot Robbie), a pedido de George Washington Williams (Samuel L. Jackson), para verificar por qual o verdadeiro interesse o rei da Bélgica tinha no Congo. Porém ao chegar em solo africano, Tarzan se vê em uma cilada preparada pelo temível capitão Leon Rom (Christoph Waltz), onde Jane é capturada e a partir daí se desenrola toda a trama do filme, na qual o herói das selvas deve salvar a donzela em apuros.

Aos poucos (ou talvez nem tanto assim) vemos a evolução do aristocrata John Cayton III, contrário à ideia de deixar Londres, a Tarzan, o homem selvagem que interage com animais ferozes e, claro, só desfila de torso nu.

A fotografia do filme é um de seus pontos fortes, há belas imagens panorâmicas e dinâmicas cenas de ação em meio à selva. Os efeitos especiais são de bom gosto, bem dosados e sem exageros (o que talvez seja uma decepção para fãs de Star Wars e afins).

A interpretação de Christoph Waltz não decepciona, apesar de não ser um dos melhores vilões já interpretados por ele. Os trejeitos, já característicos de Waltz, caem muito bem para personagens maus e evidenciam porque ele é um dos atores preferidos na hora de interpretar vilões ultimamente. Destaque de atuação ainda pra Samuel L. Jackson, responsável por boas sacadas e momentos divertidos, que são raros neste filme, sendo talvez a versão mais sombria já feita sobre o homem das selvas.

A trilha sonora, composta por Rupert Gregson-Williams, agrada e consegue enfatizar os momentos de tensão e, principalmente, de ação.

O filme começa um pouco devagar, sem empolgar muito. Porém melhora bastante a partir do momento em que se chega à floresta, com muita correria, ação, e belas cenas de confronto.  Apesar de nomes de peso no elenco e na produção do filme, A Lenda de Tarzan é um bom filme, mas só. Vale o passeio e a ida ao cinema, porém é apenas mais um filme “Ok” dentre tantos outros que estão em cartaz.  

Nota final: 6,5

Escrito por: Gustavo Machado & Karla Yuki

Written By
More from Redação

HyperX anuncia lança teclado feito para jogadores de FPS

A HyperX, divisão de produtos de alta performance para gamers da Kingston,...
Read More