Review: This War of Mine – The Little Ones

Precisamos falar sobre This War of Mine: Little Ones? Sim, precisamos. Há mais ou menos um ano, quando joguei pela primeira vez o jogo original, eu estava na pele de três civis tentando sobreviver todas as dificuldades de uma zona de guerra: violência, fome, tristeza, o desejo de encontrar um ente querido que estava desaparecido. Felizmente meu time era formado por um cozinheiro, um atleta e um bombeiro, cada um com uma habilidades específica que somaria ao time.

Foram mais de 30 dias sobrevivendo aos ataques noturnos de saqueadores, ajudando vizinhos que de alguma maneira sofriam os males da tragédia que assolava a província de Pogoren, além, procurando meio de aquecer o abrigo por conta de uma forte nevasca, escavando, invadindo e, por sua vez, também roubando outras pessoas para manter todos do abrigo vivos e com as mínimas condições de salubridade física e mental.

Nos meus últimos dias de sobrevivência, dois integrantes do grupo haviam morrido tentando encontrar materiais para o abrigo e o terceiro e último passara os três últimos dias de na cama, incapacitado de levantar por conta da profunda tristeza e por estar mortalmente ferido. Tive sorte, pois a guerra acabou antes do ferido morrer, então gosto de pensar que ele foi resgatado e hoje vive feliz com sua história.

Esta foi a história dos meus sobreviventes, mas conversando com outros amigos que também estiveram na zona de Guerra de Pogoren. Na pele daqueles civis, sua história é escrita com base em todas as ações que você toma ao longo dos trinta e poucos dias de sobrevivência.

LITTLE ONES

Quando a expansão do jogo foi anunciada, ao som de The Kids Aren’t Right do saudoso Offspring (espero que você tenha idade para conhecer esta banda), minha empolgação voltou com tudo. Afinal, qual seria o impacto em todo grupo e nas próprias crianças naquele cenário que se aproximava da realidade de um conflito civil? Infelizmente, dessa vez, a prática não superou a expectativa. Vamos partir do seguinte principio: as crianças não morrem. Este é o seu objetivo no jogo? Claro que não (e se for, procure ajuda psicológica), mas é o maior motivo que nos impulsiona a mantê-las ocupadas, felizes, alimentadas e saudáveis. Então se elas não morrem, porque me preocupar com o impacto psicológico de sua perda no grupo? A sensação que tive durante o gameplay é que as crianças se transformam em apenas mais um problema ao abrigo. Sem nenhum impacto realmente visível em relação ao o que está acontecendo lá fora. Elas sabem que existem problemas, mas nem por isso se abalam. Coloque-as para brincar, alimente-as e pronto, está tudo bem.

Por que a minha reclamação? This War of Mine, ao meu ver, que realmente conseguiu expressar o ambiente claustrofóbico que uma guerra pode trazer. Esqueça os herois, soldados imortais ou a munição infinita. Seu objetivo sempre será sobreviver, mesmo que seja obrigado a tomar atitudes que vão contra seus princípios. No final das contas, Little Ones se transforma em um conteúdo adicional tão relevante quanto uma nova expansão de The Sims. Vira cosmético, deixa o jogo com uma cara nova, mas, infelizmente, não muda a experiência. Só adiciona mais uma boca que deve ser alimentada.

Written By
More from Redação

Review: No fim do túnel

Geralmente pesquiso um pouco sobre os filmes antes de assisti-los, mas dessa...
Read More