Crítica Batman Vs Superman: A Origem da Justiça

Assim que Batman vs Superman foi anunciado, este crítico que vos escreve apenas pensou “Ok, mais um filme de herói com um subtítulo que dá a entender que eles farão, possivelmente, uma sequência para a Liga da Justiça. Com certeza não dará certo, afinal quem manda no mercado cinematográfico de heróis é a Marvel, ou seja, adeus filme da Liga”.

Em seguida, quando anunciaram que o protagonista e intérprete do Batman seria o Ben Affleck (ao lado de Henry Cavill como Superman), mais uma vez pensei “agora que esse filme não dará certo mesmo, afinal o Ben Affleck tá mais pra tiozão do que Batman. Ele é muito cult/canastrão/galhofa pra segurar a onda”. Lembrei também, que não havia gostado tanto assim de “Homem de Aço”, achei forçado demais e não tão a cara do Superman que conhecemos. Então dei como certo que seu sucessor seria um fracasso.

E é aqui que eu digo que amo estar errado. O que eu vi, na verdade, é que a Warner/DC acertou completamente na película, não deixando nada a desejar frente à Marvel/Disney.

O diretor do longa, Zack Snyder, pediu encarecidamente que não fossem revelados spoilers para não prejudicar a experiência de imersão no filme, então eu realmente farei esta crítica sem entregar nada.

Batman Vs Superman é um filme de detalhes e não é preciso muita força para captá-los, sendo muito importantes para a construção do longa e para o bom aproveitamento da narrativa. Com as “pistas” apresentadas sobre os mistérios abordados no longa, é possível deduzir onde a narrativa chegará. Porém, não entendam isso como um ponto negativo, apenas que a trama te envolve e o incentiva a ver o desenrolar de tudo.

Os planos de cena construídos por Snyder não são primorosos e nem dignos de Oscar por ditar uma nova estética de cinema, porém eles são bem executados e colocados nos momentos certos para envolver o publico na narrativa e emocionalmente. Agradará as vistas de não fãs de HQs, e também aos aficionados na arte dos quadrinhos, por estar cheio de referências visuais já conhecidas.

A película tem um ritmo ótimo, mesmo tendo mais de duas horas de duração. É impossível se cansar do que é projetado na grande tela branca, dando um gostinho de quero mais e deixando a vontade de perguntar aos funcionários do cinema se não podemos assistir à próxima sessão em seqüência.

O tom sombrio do longa anterior foi mantido e se encaixa perfeitamente na história. Se comparado aos filmes da Marvel, é possível notar que “BvsS” é um filme mais sério, enquanto os da rival são bem adolescentes. Não que não haja nenhuma piada e alívio cômico dentro dos mais de 120 minutos de projeção, mas essa não é a proposta principal.

Ao meu ver, Homem de Aço pecou nos exageros, tanto em ação quanto em enrolação, algo que já não acontece em Batman vs Superman. A apresentação aos personagens é feita quase como se lêssemos uma HQ, em que conseguimos compreender as motivações e amarguras de heróis e vilões claramente.

Um “problema” que pude notar, e coloco entre aspas pois não é nada grave, é a trilha sonora não marcante. Ao sair da sessão, o espectador não sai da sessão cantarolando as melodias apresentadas no longa, mas ao mesmo tempo, elas se encaixam perfeitamente nos momentos mais importantes da narrativa, tendo como destaque o tema da Mulher-Maravilha, que entra em um fade-in primoroso em uma das cenas, enquanto o público vai ao delírio!

Snyder fez um grande fan-service colocando vários easter eggs e referências aos quadrinhos e ao universo cinematográfico da DC, que agora será expandido e não deixará nada a desejar ao Marvel Cinematic Universe. Ação na medida certa e de tirar o fôlego de qualquer um!

Gostaria de ressaltar também, a verossimilhança da criação dos efeitos visuais. Tudo que é mostrado em cena passa a sensação de realidade, que podemos esticar as nossas mãos em direção à tela e tocar nas capas de Batman e Superman.

Durante o período de promoção de BvsS ouvi muitas pessoas reclamarem da atuação de Jesse Eisenberg como Lex Luthor, pois ele estaria muito caricato e exagerado. Fiquem tranquilos meus amigos, tudo neste filme é justificado e não fica feio, inclusive digo que é uma das melhores performances dentro do longa.

E falando em atuação, deixei o principal e mais interessante para o final. Ali em cima eu citei a atuação do nosso caro e afetado Lex, mas agora vamos à dupla titulo, começando pelo Superman. Na fita anterior, acredito que o Homem de Aço ficou aquém do que ele é nas HQs, tendo toda a sua característica de nobreza e honradez posta de escanteio, dando lugar à sua brutalidade e falta de tato como super-herói. Vendo os dois filmes como complementares, podemos dizer que Homem de Aço fez mais sentido hoje, pois agora realmente vimos que Superman estava aprendendo a ser um herói de verdade, a lidar com seus poderes e suas responsabilidades. Henry Cavill conseguiu incorporar o herói que esperamos, em que o “Super” seja nobre, altivo e imponente.

Agora é a vez de analisar o morcegão, e volto ao inicio do texto onde falei que não acreditava que Ben Affleck seria capaz de interpretar um bom Batman, pois ele não se encaixava no perfil. Doce engano que cometi. Encarecidamente peço desculpas ao Batman que vive interiormente na minha cabeça, desde a época de menino, pois Affleck não deixou a desejar em nenhum momento durante a projeção, tanto como Bruce Wayne, quanto como Batman. Aqueles que jogaram a serie Arkham nos consoles gostarão demais dessa versão apresentada. Arrisco dizer que este é o melhor e mais fiel Batman que já vi em um filme. O cara não sorri, não é bom moço e não entra em ação pra brincadeira, o Batman chega sempre pra ganhar, não importando a adversidade.

Para não dizer que não falei sobre Gal Gadot, a nossa Mulher-Maravilha, a caracterização está ótima, a princesa de Themyscira aparece misteriosa como tem que ser quando é Diana Prince, e poderosa de todas as maneiras como Mulher-Maravilha.

Ok, sei que esta crítica está uma rasgação de seda total, mas não há como evitar Batman Vs Superman: A Origem da Justiça mostrou-se um dos melhores filmes de heróis que já vi em toda a minha vida. me fazendo sair da sessão de pernas bambas e sem saber o que pensar. Depois de um bom tempo, a única coisa que consegui concluir é: que venham os próximos filmes, aguardarei ansioso e nunca mais duvidarei do potencial de Ben Affleck como Batman!

Se você ainda não se convenceu e não assistiu a nenhum trailer veja abaixo:

Corram aos cinemas e assistam esse primor intitulado “Batman Vs Superman: A Origem da Justiça”.

More from Tony Shadaloo

Revelada nova imagem de Silence de Martin Scorsese

Quando falamos em lendas do cinema podemos destacar várias figuras, tendo como...
Read More